Mensagens

A mostrar mensagens de Abril, 2012

Explicação do post anterior

O meu ponto não era a importância da experiência, dos CVs ou da vontade que muitos têm de fazer mais. Sou 100% a favor de malta que se empenha, que tem ideias, que se mete em coisas. Eu meto-me em coisas, estou até à ponta dos cabelos com essas coisas e gosto disso - de poder experimentar, fazer, ajudar. Sei que não sou a única, não pus em causa - ou não era minha intenção - a boa fé dos jovens quando aceitam desafios ou procuram mais ocupações. O meu problema é com a quantidade de "sims" que disparamos sem pensar. Seja porque nos entusiasmamos com as oportunidades que surgem, seja porque alguém nos pressiona para, seja por acharmos que fica bem no papel, seja porque o nosso amigo também foi. Há vários motivos para o fazermos e cada um terá os seus (que serão mais do que os que mencionei). Não é o motivo que está em causa, é a acção em si e o que isso gera.    Atiramo-nos de cabeça para todo o lado e acabamos por ir deixando tarefas incompletas. Se estamos a dizer um "sim…

Os jovens em 2012 são...

   ... pessoas obcecadas pela ideia de ter um Currículo preenchido - tanto, que se metem em tudo e, no fim, não fizeram nada.
   Mas espera! Afinal há resultado final e nem está nada mal. Vai ficar um máximo no CV. Oh, como enche as medidas destes jovens, poder dizer que estiveram no projecto X, aquele tal projecto que envolveu centenas de entidades e muito trabalho! Oh que trabalheira! E ainda estavam metidos em 50 mil outros projectos, estágios, part-times, idas ao futebol, ao cinema e à manicura, saídas à noite, movimentos estudantis, aulas, férias com a família, viagens com os amigos... uff! Estes jovens de 2012 são mesmo multi-task. Desdobram-se. Ou talvez não. Estes jovens 2012 que dizem "sim" a tudo quanto é oportunidade que reluz, só conseguem fazer bem a parte de lazer da sua vida. O social, o que fica bem no Facebook. Aquela parte em que têm assuntos interessantíssimos para conversar como: "ei, faço parte disto, disto, daquilo, mais disto e ainda faço o pino ao…

Estou numa de to do lists #1

Imagem
VIAGENS: Nesta demanda de listar e organizar tudo o que há para fazer, leva-se o "tudo" a sério e, portanto, não vale deixar de parte os planos bons (até porque sem eles já me tinha asfixiado por aqui).
Assim, sem perder muito tempo, pré-seleccionei uns destinos para este ano (sem qualquer margem de certezas mas fica, pelo menos, o apontamento):

Braga está nomeada, este ano, como Capital Europeia da Juventude e isso é razão suficiente para lá querer ir (se bem que subir o Bom Jesus era coisa para me deixar o rabo e as pernas bem tonificadas portanto, mais um ponto a favor!).

Não vou a Guimarães há uns 10 anos e este ano é, como todos sabem e a todos orgulha, a cidade eleita para Capital Europeia da Cultura. É de ir!
Inconscientemente, já não considero Espanha um destino e quero, por isso, arrumar o país vizinho da lista de sítios. Só o posso fazer visitando Madrid, porque nunca fui e isso é coisa que me irrita, por ser tão perto e tão banal. Sei que falo como se desvalorizasse …

Pós ENECC

Se calhar está na altura de dizer qualquer coisinha, ? Pois bem; estou viva, sobrevivi ao furacão ENECC e assim que me organizar volto (temo demorar a organizar-me com a pilha de "pra depois" que fui amontoando, mas ok, optimismo!).
Foi um fim-de-semana muito bom, porque as pessoas fazem os sítios e nós tivemos a sorte de encontrar pessoas brutais, tanto na parte de bastidores e apoios locais, como da parte dos participantes - miúdos como eu, que aliam a vontade de aprender com a vontade de viver. Foi neste sentido que projectámos o Encontro e a melhor recompensa foi acertar exactamente no público-alvo que idealizámos (e, por isso, agradar).
Não nomear estas pessoas seria incompreensível: Rita Penela, Sara Vicente, Ana Rita Pancada, Andreia Almeida, Mónica Barros, Ana Isabel Gaspar, Joana Rego e André Jesus.
Eu... estou mortinha para assolapar o rabo num acampamento em que não tenha nada para fazer e possa finalmente aproveitar. Estou mortinha para tirar férias, descansar, ir…